Oleo VegetalO óleo vegetal é uma gordura extraída das plantas oleaginosas, ou seja, é uma tipo de gordura retirada de plantas e formada principalmente por 95% de triacilgliceróis e baixa quantidade de mono e diacilgliceróis. O Brasil é um dos países que possui uma diversidade de espécies vegetais de onde são extraídos os óleos.

A extração pode ser feita por meio de outras partes das plantas, mas em sua maioria é extraído exclusivamente das sementes. Os óleos provenientes de frutos são conhecidos como azeites como por exemplo o óleo da azeitona e o de dendê. Os óleos e gorduras vegetais e animais são substâncias insolúveis em água.

A utilização do óleo é antiga. Há mais de 6 mil anos, o homem já utilizava o óleo de oliva para se proteger do frio, quando estes passavam o óleo no corpo. A partir daí novas utilizações foram dadas ao óleo no aquecimento, na iluminação, com biodiesel, na medicina, perfumaria e até mesmo na produção de sabão artesanal.

O óleo vegetal também é utilizado na cozinha, que há anos atrás foi substituído pelas gorduras sólidas de origem animal, que são utilizadas mas não com a mesma intensidade, por serem totalmente prejudiciais à saúde.

Como combustível, o óleo vegetal é considerado uma alternativa ambientalmente correta, pois sua queima não libera gases poluentes e também por ser uma fonte totalmente renovável. Além disso, é uma opção que traz não só benefícios ecológicos, como também sociais e econômicos.

Porém, mesmo com todos as vantagens oferecidas, é importante lembrar que se descartado de forma incorreta, torna-se altamente prejudicial ao meio ambiente. Portanto, é fundamental saber quais os riscos oferecidos e a melhor forma de reciclá-lo.

Tipos de Óleos

Existem três tipos de óleos: Vegetal, Animal e Mineral.

Óleo Vegetal

O vegetal é uma gordura vinda das plantas oleaginosas, predominantemente das sementes. Assim como todos os outros tipos de gordura, os óleos vegetais nada mais são do que ésteres de glicerina e uma mistura de ácidos gordos que são insolúveis em água, e solúveis em solventes orgânicos (diluentes, dispersantes ou solubilizantes).

O óleo vegetal é uma fonte de energia renovável, ou seja, vem de recursos que não se esgotam, e ao mesmo tempo em que apresentam vantagens para o meio ambiente, para a sociedade e para economia, podem ser totalmente prejudiciais se utilizados de maneira incorreta. Veja as principais fontes do óleo vegetal:

  • Soja;
  • Dendê;
  • Girassol;
  • Algodão;
  • Mostarda;
  • Coco;
  • Colza; 
  • Avelã;
  • Amêndoa;
  • Azeitona;
  • Alperce; 
  • Palma;
  • Mamona;
  • Amendoim;
  • Milho; 
  • Abóbora;
  • Abacate;
  • Noz.
Extração do Óleo Vegetal

A extração do óleo vegetal pode ocorrer tanto da forma química, através de extratos de solventes, (substâncias que permitem a dispersão de outra substância em seu meio), assim como por extração física, que utiliza processos mecânicos, e por extração a frio, forma em que o óleo não passa por processos de refino e não possui nenhum componente químico.

Normalmente ocorre o seguinte processo: Coleta das sementes » Desidratação » Levadas à prensas hidráulicas » Filtragem

O que sobra do processo pode ser usado como ração para animais, assim como pode ser transformado em carvão.

Pela grande variedade de plantas que podem ser encontradas na Amazônia, muitas produzem sementes oleaginosas, que acabam sendo transformadas em óleo vegetal. Estima-se que por ano a Amazônia proporciona a produção de 5.000 Kg de óleo vegetal e as plantas mais utilizadas são as do gênero das Palmáceas, Buriti, Andiroba e Babaçú.

Óleo Animal

O óleo de origem animal é simplesmente a transformação de gordura animal em óleo. São considerados subprodutos da indústria da carne. Além disso, o aproveitamento da gordura animal beneficia o meio ambiente, pois diminui o volume de resíduos, além de ser de grande importância para a indústria de alimentos. Veja alguns tipos de óleos existentes:

Oleína Animal

É um ácido graxo insaturado conhecido como ômega 9 que está presente no processo do metabolismo e desempenha uma função importante na síntese dos hormônios. É uma gordura muito utilizada na produção de sabões e sabonetes. Além de bronzeadores, cremes, emulsões, plastificantes, lubrificantes, etc.

Óleo de Fígado de Pescado

É um óleo extraído de um cardume de vários tipos de peixes e possui as vitaminas A e D, além de ser rico em ácidos graxos poliinsaturados. Geralmente, é utilizado na medicina na produção de remédios que auxiliam na cicatrização e na manutenção de uma pele saudável, na absorção de cálcio pelo corpo, no crescimento, na gravidez e amamentação e para idosos. Além disso, pode ser utilizado também nas industrias, farmacêutica, cosmética, encapsulação, etc.

Óleo de Mocotó

É um óleo extraído da tíbia (canela) do boi. Ele é utilizado nas industrias frigoríficas, para amaciar e conservar o couro, além de outras aplicações.

Óleo de Peixe

É um óleo retirado de peixes marinhos e utilizado na fabricação de ração para animais, também pode servir como lubrificante de cabos de aço, proteção de madeira e equipamento dentro da água, entre outros.

Óleo de Salmão

É um óleo nobre extraído do peixe que vive em águas frias. Sua cor é característica de sua alimentação proveniente de camarão e krill. Sua principal utilização se encontra na produção da ração animal.

Sebo Bovino

É uma gordura de origem bovina e bastante utilizada na produção de sabão, ração, conservação do couro, lubrificante, etc.

Óleo Mineral

Frasco ÓleoO óleo mineral, também chamado de petróleo branco, vem da destilação do petróleo através do processo de produção da gasolina, e possui dois graus: o técnico e o medicinal.

Pode ser utilizado como óleo de refrigeração e isolamento de transformadores elétricos, fabricação de biscoitos, massas, chocolates, balas, para transporte e armazenagem de metais, assim como laxante, hidratante, lubrificante etc. Diferente do vegetal, o óleo mineral é incolor e quase inerte no ponto de vista químico.

A qualidade do óleo vegetal deve ser avaliada, pois se utilizado de maneira incorreta, poderá causar malefícios à saúde. Se ingerido ou aspirado pode acarretar na pneumonia lipoídica, doença originária da aspiração de partículas oleosas advindas dos óleos minerais. 

Outro malefício do produto é quando ele é utilizado no cabelo. As industrias de cosméticos, muitas vezes utilizam o óleo mineral por ser barato e seguro, mas quando usados em excesso podem deixar o cabelo com aspecto oleoso, sujo e pesado, já que as partículas de óleo mineral são mais pesadas e podem facilmente se acumular no couro cabeludo.

Produtos desse tipo, somente dão uma impressão temporário de que o cabelo é brilhante. A sugestão é trocar qualquer produto a base de óleo mineral ou que contenham as substancias vaselina e petrolato por óleo vegetal.